O Coronavírus chegou ao Brasil e os casos vêm aumentando dia após dia. Isso é fato.

Mas, como manicures e salões de pequeno porte podem enfrentar esta crise causada pela pandemia?

Se é verdade que o isolamento social ajuda a conter o contágio em massa, também é realidade que os boletos não ficam de quarentena. Eles continuam chegando. Por isso, é preciso manter o fluxo de renda.

Para ajudar você a se manter em meio à crise do coronavírus com segurança, criamos este post com 5 atitudes para enfrentar a crise da pandemia. Afinal, a economia se recupera depois, mas vidas não.

Antes de começar com as dicas, vamos responder as principais dúvidas sobre o assunto. Confira!

O que é coronavírus?

coronavirus

Imagem do Coronavírus

Segundo o site oficial do Ministério da Saúde, o Coronavírus é um tipo de vírus que causa problemas respiratórios.

Os vírus do tipo corona são comuns e atingem as pessoas várias vezes ao longo da vida. Agora, o vírus que está causando o surto no mundo é uma mutação que atingia morcegos e passou a acometer humanos. 

Ele é cerca de 20 vezes mais agressivo do que a gripe comum.

Onde surgiu o coronavírus

Muita gente se pergunta onde surgiu esse vírus e como ele se espalhou pelo mundo. É provável que o Coronavírus tenha se espalhado a partir da China, onde foi notificado pela primeira vez dia 31 de dezembro de 2019 na cidade de Wuhan.

Pandemia de coronavírus

De lá pra cá o vírus têm se espalhado rapidamente, por isso a Organização Mundial da Saúde (OMS) já declarou que uma pandemia está em curso. Uma pandemia acontece quando mais de dois continentes possuem surto da mesma doença.

Apesar de já ter os casos controlados na China, o surto já faz muitas vítimas na Europa, com destaque para a Itália, onde as pessoas estão proibidas de sair de casa.

A partir da segunda semana de abril, os Estados Unidos passaram a ser o novo epicentro da pandemia, onde as mortes já passaram de 2 mil por dia no dia 18 de abril.

No Brasil, o primeiro caso foi confirmado no dia 26 de fevereiro. Até o dia 20 de abril, data de atualização desta matéria, os casos confirmados chegam a 38,6 mil casos, com 2,4 mil mortes.

Corrida científica

Os principais cientistas do mundo buscam pela cura para o Coronavírus.

Há pesquisas acontecendo no mundo todo para tentar desenvolver uma vacina ou medicamento com eficácia cientificamente comprovada.

Porém, embora já exista uma vacina em fase de teste, o melhor a fazer neste momento é prevenir-se e esperar pela cura.

E, enquanto não existe uma cura para esta doença, precisamos nos informar para evitar o contágio.

Como o coronavírus se espalha?

O Coronavírus é transmitido como uma gripe comum. Então, ele pode passar de uma pessoa para outra pelo ar, por qualquer contato pessoal ou compartilhamento de objetos.

Quando a pessoa é infectada com o corona, pode ficar sem sintomas, em um período de incubação, por até 14 dias.

Durante este período de incubação é difícil saber se a pessoa tem a doença. E o pior de tudo é que ela transmite o vírus para outras pessoas nesta fase.

Quando os primeiros sintomas aparecem, se assemelham muito aos de uma gripo comum.

Quanto tempo o corona sobrevive fora do corpo humano?

Em algumas superfícies e até no ar, o vírus consegue sobreviver por um tempo fora do corpo.

Veja este infográfico publicado pelo G1 e que foi embasado em uma pesquisa científica publicada esta semana:

sobrevida do corona em superfície

Ilustração feita pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos EUA, mostra a morfologia do novo coronavírus, conhecido cientificamente como 2019-nCoV — Foto: Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/Handout via Reuters

A boa notícia é que a esterilização em autoclave e na estufa matam o corona. Então, seguir com a rotina de higienização e esterilização no salão é essencial!

Além disso, a desinfecção com álcool 70 é eficiente para neutralizar o corona, assim como lavar as superfícies com água e sabão.

Quais são os sintomas de coronavírus?

Os principais sintomas do corona são febre, tosse seca e dificuldade para respirar. A falta de ar causa dificuldade para andar e falar, como se o ar não surtisse efeito dentro do pulmão.

Pessoas com doenças respiratórias crônicas, como bronquite, asma e rinite são grupo de risco. Além disso, pessoas com pressão alta e diabetes também são mais sensíveis aos efeitos do coronavírus.

Assim como pessoas com mais de 60 anos são mais debilitadas e se encontram no grupo de risco, recém nascidos devem ser protegidos de qualquer contato que não seja dos cuidadores.

Crianças são muito suscetíveis ao contágio e geralmente são responsáveis pela transmissão da doença, embora sejam as que apresentam menos mortalidade.

O Coronavírus é perigoso?

Muita gente tem comparado o Corona com a gripe comum. E pior: têm usado isso pra justificar a falta de cuidados.

Na realidade, de acordo com o biólogo especialista Átila Marinho, o Corona mata 20 vezes mais do que a gripe comum. E, outro dado preocupante é que a infecção por corona leva mais pessoas a serem internadas em hospitais.

É preciso que todos se cuidem para evitar o contágio porque se os hospitais ficarem superlotados não apenas as vítimas do corona ficarão sem respiradores, como também pacientes de outras doenças que precisarem de tratamento imediato, podem ficar sem acesso aos hospitais por falta de leitos.

O momento não é de se desesperar, é de ter calma, mas agir de forma sistemática e contínua para conter o surto. 

O que fazer em caso de suspeita de coronavírus?

Não existe tratamento específico para os casos de coronavírus. Como já falamos anteriormente, ainda não existe cura para a doença.

Em caso de suspeita, a recomendação do Ministério da Saúde é fazer o tratamento comum de gripe:

  • isolamento absoluto em casa;
  • repouso;
  • tomar bastante água;
  • usar medicamentos para controlar a febre e as dores;
  • fazer inalação caseira, usar umidificadores de ar ou tomar banho bem quente para hidratar as vias aéreas e aliviar o desconforto na garganta.

Agora vem uma informação essencial: se você estiver gripado, não vá ao médico. Aliás, VÁ AO HOSPITAL APENAS EM CASO DE FALTA DE AR. Qualquer ida desnecessária aos hospitais pode gerar mais contaminações.

Como evitar o contágio e continuar atendendo clientes?

como saber se estou com coronavírus

Esta é, com certeza, a grande dúvida que incomoda milhões de microempreendedores brasileiros.

Bom, para evitar o contágio é preciso, antes de qualquer coisa:

  • usar máscaras de proteção, que tenham pelo menos 2 camadas de tecido de algodão e que cubram o nariz e a boca;
  • lavar bem as mãos com água e sabão a cada atendimento;
  • evite colocar as mãos no olhos, nariz e boca;
  • usar álcool 70 para higienizar as mãos quando estiver fora de casa
  • usar álcool 70 para limpar objetos de uso corriqueiro, como celulares, computadores e outras ferramentas de trabalho;
  • higienizar as mercadorias compradas no varejo com álcool 70 ou água sanitária;
  • cobrir o nariz e a boca usando o braço quando tossir ou espirrar e, se possível, higienizar os braços após o ocorrido;
  • evitar aglomerações de pessoas, como shows, eventos, etc;
  • manter uma distância de 2 metros das pessoas;
  • mantenha os ambientes bem ventilados, com circulação de ar;
  • não compartilhe objetos pessoais, como talheres, celular, copo, garrafa, etc.

Agora, como lidar com o surto de corona no trabalho de manicure na prática?

Veja agora 5 atitudes para manter o trabalho com segurança sem subestimar a contaminação da doença que já matou milhares de pessoas no mundo.

1. Siga os protocolos de bio-segurança

como se proteger do coronavirus manicure

Lave muito bem as mãos, use álcool gel se for sair de casa e procure fazer o isolamento conforme a orientação dos profissionais especializados.

Em geral, a orientação é: Se puder, fique em casa, mas se precisar atender, siga as regras de bio-segurança.

Máscara

Use máscara de tecido reutilizáveis, tenha pelo menos 3 unidades a seu dispôr e lave as que forem usadas diariamente. O ideal é trocar a máscara quando ela fica úmida, pois a umidade aumenta as chances de contágio.

A máscara deve ter pelo menos 2 camadas de tecido, preferencialmente de algodão, e cobrir nariz, boca e queixo. A amarração deve ser firme e, se possível, sem aberturas laterais para a entrada de ar, pois o ar deve passar pelas tramas do tecido para que o vírus seja barrado ali.

Uniformes

Além dos equipamentos básicos de bio-segurança de uso comum da manicure, é bom salientar que o uso de uniformes, aventais e jalecos. Além disso, é muito importante e que estes equipamentos sejam trocados diariamente.

Sendo que, ao chegar em casa, eles devem ser retirados do corpo e colocados em sacos plásticos. Quando for levar esta roupa para a máquina de lavar, higienize as mãos após a manipulação.

Se você trabalha como manicure delivery ou pensa em manter o salão em funcionamento mesmo de portas fechadas, fique atenta aos decretos municipais e estaduais, pois em muitas localidades a prefeitura ou o governo do estado proibiu o funcionamento de estabelecimentos não essenciais.

Álcool 70

O uso de álcool 70 é imprescindível, ainda mais neste momento. Toda a bancada, instrumentos que não são descartáveis e não esterilizáveis deve ser limpos com álcool 70, assim como as mãos e pés da cliente durante o atendimento.

Luvas

As luvas devem ser utilizadas durante o atendimento. Durante o uso das luvas, nunca toque seu rosto.

Será que vale a pena atender?

Depois de ler todas as recomendações e ficar por dentro do que está acontecendo, é normal ficar em dúvida: será que vale a pena atender?

Tanto para quem é manicure delivery quanto para quem atende em salão, este é um momento complicado. Continue a leitura, porque a gente vai te dar dicas e te ajudar a pensar em soluções.

2. Comunique-se

Se você está fazendo tudo certinho para a prevenção do corona, por favor, conte isso para o mundo.

Quando você explica para seus clientes quais os cuidados que está tomando, acontece pelo menos duas coisas: o cliente se sente mais seguro de ir até você e mais pessoas podem aprender a prevenir o contágio.

Por isso, comunique a seus clientes quais são as medidas de segurança que você está tomando. Faça stories no Instagram, vídeos em todas as redes sociais, compartilhe informações comprovadas e seguras no WhatsApp.

Este post, por exemplo, pode ser muito útil para seus clientes e colegas de trabalho, certo? Então compartilhe!

3. Venda pacotes antecipados

Caso alguma cliente queira cancelar o atendimento, tente convencê-la a comprar um cupom de vale-serviço para quando a quarentena acabar.

Funcionaria como um pagamento adiantado. Assim, você consegue receber agora por transferência bancária e já garante atendimentos futuros.

Quer ver um guia completo para criar uma campanha de pacotes antecipados com suas clientes? Olha só:

A Nati lançou a campanha #AjudeSuaManicure para incentivar clientes a comprarem pacotes antecipados nesta crise para ajudar as profissionais que estão com dificuldades financeiras.

Use esta hashtag em suas redes sociais e ajude a ampliar esta corrente de solidariedade!

4. Negocie seu aluguel

Muitos de nós estamos com dificuldades financeiras neste período. Mas uma coisa é certa: as contas a gente paga depois, mas a saúde é preciso cuidar agora. Afinal, é prioridade.

Dê prioridade para a venda pacotes adiantado e procure  ficar atenta às notícias.

Se você paga aluguel, é o momento perfeito para negociar o valor direto com o proprietário.

É o momento de ajustar valores, rever prazos de pagamento e se ajudar para todo mundo passar por esta crise com o mínimo de condições.

Nós fizemos um post com tudo que você precisa saber para negociar seu aluguel! Confira:

5. Peça auxílio do governo

Muitas pessoas estão com sérias dificuldades financeiras neste momento. Mesmo que continue atendendo alguns clientes, você pode ter sua renda prejudicada.

Para complementar esta renda, o governo federal aprovou um auxílio emergencial de R$600 reais para as pessoas mais vulneráveis neste momento de crise.

Nós preparamos um guia completo para você se informar sobre o benefício e fazer seu cadastro, caso se encaixe nas especificações do governo. Veja:

Além disso, se você é proprietária de uma pequena empresa, o governo está disponibilizando linhas de crédito para te ajudar a pagar seus funcionários. Saiba mais no post acima.

Se você é funcionária CLT, veja quais são seus direitos neste momento de pandemia!

Mantenha-se informada

A gente tem recebido muitas mensagens pelo WhatsApp com informações sobre a pandemia do coronavírus. Mas, vale ressaltar, este tipo de mensagem deve sempre ser vista com alguma desconfiança.

Para ficar informada sobre o surto de Coronavírus no Brasil e no mundo vamos indicar duas fontes muito confiáveis.

A primeira é o aplicativo do Sistema Único de Saúde, o SUS, sobre o corona. Para baixar, vá na Play Store e digite na busca “Coronavírus SUS” e lá você vai encontrar informações sobre sintomas e cuidados.

Além disso, acompanhe as redes sociais do Átila Iamarino. Ele é um divulgador da ciência, professor e pesquisador, Biólogo e especialista em Microbiologia pela Universidade de São Paulo (USP).

O Átila tem feito lives em seu canal no YouTube e vídeos no Instagram para explicar tudo que está acontecendo durante o surto no Brasil. Vale muito a pena acompanhar.

O que você achou dessas dicas? Conta pra gente nos comentários. E não esqueça de compartilhar esse post com seus amigos, familiares, clientes e colegar de profissão, ok?

Siga a Nati no Instagram para ficar por dentro de todas as novidades.

Para ver mais dicas de como encantar suas clientes, confira: